Luxottica e Essilor: mais notícias sobre a fusão

São muitas as etapas regulatórias para que Essilor e Luxottica consigam formalizar a sua combinação, anunciada em janeiro e que gerará uma nova companhia, a EssilorLuxottica, avaliada em € 47 bilhões. É preciso notificar as entidades regulatórias nos países (ou blocos de países, como no caso da Comunidade Europeia) em que as empresas atuam e há algumas nações em que a aprovação das autoridades antitruste é condição prévia para que a negociação se concretize. Enquanto as autoridades indianas, neozelandesas e russas já deram o sinal verde, nos Estados Unidos e na Europa, o acordo ainda está sendo analisado.

Na Comissão Europeia (CE), as duas corporações tiveram até 19 de setembro para oferecer concessões depois que o chefe do órgão de controle da concorrência do bloco expressou reservas sobre o negócio no início do mês. Mas, segundo a agência britânica de notícias Reuters, Luxottica e Essilor não ofereceram nenhum tipo de concessão para dissipar as preocupações das autoridades antitruste da CE em relação à proposta de combinação das duas empresas – tais concessões poderiam aumentar a probabilidade de os analistas terem uma visão mais profunda do negócio.

A Reuters seguiu informando que a Comissão Europeia reconhece se as partes em uma fusão fazem concessões. Mas, segundo o que mostram os registros em seus sites, Luxottica e Essilor não o fizeram. A menos que tenham conseguido apaziguar a Comissão em uma recente reunião, é provável que seja aberta uma investigação em grande escala com duração de cerca de quatro meses após uma revisão preliminar marcada para 26 de setembro. Algumas empresas preferem oferecer concessões durante essa fase depois de ter uma melhor ideia das preocupações do regulador.

Tanto Luxottica quanto Essilor recusaram-se a comentar as preocupações da Comissão Europeia.

 

Em julho, o céu parecia ser de brigadeiro

Em um comunicado publicado simultaneamente em seus sites em 24 de julho, Essilor e Luxottica informavam que a combinação continuava seguindo em frente: o processo antitruste avançava em todas as jurisdições e que essa etapa deveria estar concluída até o final do ano. Veja a íntegra do documento (traduzido):

 

“Essilor e Luxottica fizeram juntas as solicitações junto às autoridades antitruste em três das cinco jurisdições cujas aprovações são uma condição prévia ao fechamento da transação, isto é, Estados Unidos, Canadá e Brasil.

Nos Estados Unidos e no Canadá, a investigação entrou em uma fase de pedido secundário, o que é esperado para um acordo desse porte.

Na China, a quarta jurisdição em que a aprovação é uma condição prévia, a transação proposta está sob a revisão do ministério do Comércio (MOFCOM) e a notificação da aceitação é esperada para breve.

Na Europa, a quinta jurisdição para a qual a aprovação é uma condição prévia, as duas empresas estão conduzindo um diálogo aberto e construtivo com a Comissão no contexto da fase de pré-notificação e esperam poder noticiar a formalização da transação nas próximas semanas.

As duas empresas já obtiveram autorização na Rússia e na Índia. Em outras jurisdições relevantes, notificaram a transação e estão conduzindo um diálogo aberto e construtivo com as autoridades antitruste.

O objetivo compartilhado pelas duas empresas em cooperação com as autoridades relevantes é fechar o processo antitruste até o final do ano.”

 

 

 

 

A recém-nascida gigante EssilorLuxottica

[icon name=”plus” class=”” unprefixed_class=””] Novos capítulos da fusão entre Essilor e Luxottica

Luxottica anuncia saída da Bolsa de Nova York

 

 

 

 

 

 

 

468 ad