As 50 maiores ópticas dos Estados Unidos * versão 2017

Fusões e participação de fundos de private equity, fenômeno que está estimulando as aquisições de redes independentes e de atuação regional, têm dado nova forma ao varejo óptico norte-americano, que movimentou cerca de US$ 34,9 bilhões no ano passado. Como resultado, há um novo posicionamento entre os principais ocupantes da versão 2017 do ranking Top 50 U.S. Optical Retailers, produzido pelo Vision Monday.

Mudanças no topo da lista das 50 maiores ópticas dos Estados Unidos. Depois de mais de uma década, a divisão de varejo da Luxottica, a Luxottica Retail, cedeu a primeira colocação à Vision Source, rede franqueadora com 3.344 pontos de venda e receita coletiva de US$ 2.632 milhões em 2016, líder pela primeira vez. Tal novidade teria mais impacto se a dona da Vision Source não fosse a Essilor, que adquiriu a rede no final de 2015 – e ambas corporações anunciaram sua combinação em janeiro (ver A óptica no mundo, VIEW 163), criando a EssilorLuxottica.

Aquisições e consolidações, turbinadas pelos desafios que enfrentam lojistas independentes e algumas redes regionais líderes, bem como o envolvimento dos fundos de privaty equity (do inglês, expressão que define fundos de investimentos que compram participações em empresas), estão redimensionando o varejo óptico norte-americano. Esse cenário foi o responsável por uma edição com mais mudanças do que nos demais anos do ranking VM Top 50 U.S. Optical Retailers, conduzida pelo Vision Monday, publicação da Jobson Publishing, que contabiliza o movimento do mercado em 2016.

A Luxottica Retail, que passa ocupar a vice-liderança do Top 50, tem reavaliado estrategicamente seu mix de produtos, design e atuação nos Estados Unidos, fechando algumas lojas com baixo desempenho, pontos de venda no interior da loja de departamentos Sears e embarcado em uma remodelação dos pontos de venda da LensCrafters, expansão na Target, foco na Pearle Vision como vizinha das clínicas de visão e realinhamento de seu varejo premium.

A combinação ainda pendente entre Essilor e Luxottica, as maiores fornecedoras do mercado óptico mundial, anunciam planos de integração entre os dois negócios, embora executivos de ambas empresas afirmem que o processo está a vários anos de distância e ninguém ainda está certo de como isso ocorrerá com suas operações de varejo.

Já o Walmart manteve a terceira posição com Vision Centers no interior de seus hipermercados e de seu clube de compras Sam’s Club. A quarta colocação se manteve com a National Vision com ganhos de receita estimados em 18% a 20% e expansão de mais de 80 lojas, ultrapassando a barreira do US$ 1 bilhão em vendas, com US$ 1,15 bilhão, segundo estimativas do Vision Monday. O quinto lugar também se manteve, sendo ocupado pela Costco, que abriu novos pontos de óptica no interior de seus hipermercados, contabilizando US$ 961 milhões em vendas.

Em 2016, o varejo óptico dos Estados Unidos gerou US$ 34,9 bilhões em vendas, total superior ao do ano anterior: US$ 34,4 bilhões. As 50 maiores redes, compiladas nestas páginas, representam 36,7% de todo o varejo óptico norte-americano, deixando as ópticas independentes com 63,3%, o que indica que ainda o mercado ainda é promissor para os independentes – no ranking do ano passado, esses percentuais se mantiveram semelhantes: 35,3% para os 50 maiores e 64,7% para os independentes.

 

Estabilidade nas vendas

Segundo as estimativas do Vision Monday, as 50 redes de varejo óptico que compõem o ranking deste ano totalizaram vendas de US$ 12,8 bilhões em 2016. Apenas uma suave elevação quando comparada aos US$ 12,1 bilhões do ano anterior, embora a composição de cadeias regionais, franquias e redes tenha tido uma ligeira diferença.

A mudança na participação das vendas do Top 10, no entanto, evoluiu para um total estimado de US$ 11,0 bilhões, em relação aos US$ 10,5 bilhões em 2017. E a disposição das dez primeiras colocadas teve mudanças, contando com um novo líder e novos ocupantes nas 9ª e 10ª posições.

 

Já o varejo de massa (representado por ópticas no interior de hipermercados, lojas de departamento ou clubes de compras de produtos no atacado) detém 9,7% do mercado local e faturou US$ 3.371,5 milhões em 2016.

 

Confira a lista completa dos 50 maiores varejistas de óptica norte-americanos:

*: dados estimados pelo Vision Monday. Essa avaliação inclui fontes e documentos das empresas, além de relatórios e fontes do mercado. “N”: a letra indica que essa rede não figurava na lista do ano anterior.  1: o total de cada rede inclui as vendas de produtos, os serviços de profissionais e a receita com os benefícios dos planos de saúde nos Estados Unidos e em Porto Rico, mas não as do Canadá. Quando as vendas de duas redes são semelhantes, a empresa com número menor de pontos de venda consegue a melhor colocação.  2: as estimativas do Vision Monday incluem vendas on-line e as das 46 unidades (lojas e showrooms) abertos até dezembro de 2016. “R”: a letra indica “revisado”.
Fonte: VM 2017 Top 50 U.S. Optical Retailers do jornal Vision Monday, publicação da Jobson Publishing.

 

A óptica no varejo de massa

O consumidor de óptica que foca no preço prefere comprar seus óculos no varejo de massa. Enquanto vários segmentos do varejo sentiram uma ameaça em termos de movimento e faturamento em 2016, os dólares gastos nas ópticas situadas em hipermercados e clubes de compras de atacado mantiveram-se firmes e fortes. As vendas globais de óptica no varejo de massa classificadas pelo Vision Monday geraram cerca de US$ 3.371,5 milhões em 2016 em cerca de 5.141 lojas.

Esse total representa cerca de 9,7% das vendas totais no mercado de varejo óptico norte-americano, que somou US$ 34,9 bilhões em 2016, aumento ligeiramente superior a 4% em relação ao ano anterior. No entanto, é um percentual consideravelmente inferior ao crescimento mais robusto (15%) observado em 2015 em relação a 2014, segundo a apuração do Vision Monday.

*: dados estimados pelo Vision Monday. “CC”: clube de compras de produtos no atacado. “HM”: hipermercados.

 

Instantâneos das Top 10 dos Estados Unidos

1 :: Vision Source

A Vision Source, que no final de 2015, foi adquirida pela Essilor of America de um grupo de empresas de private equity, continuou sua tendência ascendente com a adição de cerca de 80 novos pontos no ano passado, permitindo ao grupo, que é uma franqueadora, passar a ocupar a liderança do ranking do Vision Monday pela primeira vez. A rede fechou o ano com 3.344 unidades franqueadas, um aumento de 82 pontos em relação ao ano anterior (3.262), que, juntas, tiveram vendas de US$ 2,6 bilhões em 2016, o que representa um crescimento de 4,8%.

O grupo reúne mais de 4 mil optometristas independentes com o propósito de crescer seus negócios, reduzindo custos e partilhando as melhores práticas para aumentar a rentabilidade. Cada membro é um optometrista independente franqueado, dono e gestor de seu próprio negócio, que paga uma taxa com base no tamanho da operação.

A Vision Source informou que não houve aquisições ou desinvestimentos durante o ano de 2016 e que não possui lojas próprias ou departamentos de óptica arrendados.

 

2 :: Luxottica Retail

Em janeiro, a notícia da combinação entre Luxottica e Essilor capturou as manchetes globais e a atenção do setor óptico mundial. O acordo histórico que unirá as duas empresas e criará o principal fornecedor do mercado começará a tomar forma ao longo dos próximos anos, enfatizaram seus executivos.

Segundo os resultados do ano fiscal de 2016, divulgados em março, as vendas de sua divisão global de varejo cresceram 6,8% a taxas de câmbio constantes, ficando em € 5,6 milhões em comparação com o ano anterior.

Sobre a operação de varejo no mercado norte-americano, o ano trouxe o anúncio de novas lojas como a parceria com a Macy’s para abrir 78 unidades da LensCrafters no interior da loja de departamentos no decorrer de 2017, uma considerável expansão dos departamentos de óptica no interior das lojas da rede de hipermercados Target – foram 86 novas unidades em 2016 e outras 476 até o fim deste ano, além de avaliações de pontos de venda, a estreia de um novo design global e a implantação de uma nova tecnologia digital para exames visuais (a Clarifye) nas lojas da LensCrafters.

Novamente, a estimativa de vendas da Luxottica Retail nos Estados Unidos incluiu a receita de sua operação de e-commerce no país, a Glasses.com.

 

3 :: Walmart

Mais um ano, a rede de hipermercados ocupa a 3ª posição no ranking e opera cerca de 3 mil Walmart Vision Centers bem como outras 575 unidades no Sam’s Club, o seu clube de compras de produtos no atacado. Juntas, obtiveram vendas estimadas de US$ 1,8 bilhão em 2016 – há outras 227 lojas da Walmart Vision operadas pela National Vision e seus resultados são computados no total dessa rede, que ocupa o 4º lugar do ranking.

Coletivamente, combinando as suas lojas próprias e as operadas pela National Vision, a operação de óptica do Walmart fecharia 2016 com receita total estimada de US$ 1,9 bilhão. Optometristas independentes mantêm consultórios privados próximos dos Walmart Vision Centers e das lojas no interior do Sam’s Club.

 

4 :: National Vision

A National Vision manteve um crescimento consistente no ano passado, passando de 860 lojas em 2015 para 943 unidades distribuídas em 44 estados, o Distrito de Columbia e Porto Rico no final de 2016. São várias divisões de varejo sob seu guarda-chuva corporativo: America’s Best Contacts & Eyeglass­es, 277 Vision Centers no interior das lojas do Walmart, Eyeglass World, Vista Optical dentro da Fred Meyer e 56 centros ópticos em bases militares.

A empresa foi adquirida pela empresa de private equity KKR em 2014 e, na época, possuía aproximadamente 750 pontos de venda. Nesses últimos três anos, foram abertas quase 200 lojas.

 

5 :: Costco Wholesale

A maior rede de clube de compras de produtos no atacado dos Estados Unidos manteve-se na 5ª colocação do Top 50 ao obter um crescimento de 5% nas suas vendas de 2016 de seu negócio Costco Optical, fechando com US$ 961 milhões e 491 lojas – no ano anterior, foram US$ 915,2 milhões de receita e 475 unidades.

Suas lojas comercializam armações, lentes oftálmicas e de contato e uma oferta especial de lentes para membros Costco e muitas contam com optometristas independentes em seu interior ou que atendem nas proximidades. Não é necessária adesão à Costco para se submeter aos exames visuais em suas ópticas, mas é requerida na compra de armações e lentes.

 

6 :: Visionworks

Com lojas em 41 estados e no Distrito de Columbia, a Visionworks abriu 50 novos pontos de venda em 2016, ano em que seu crescimento constante garantiu a 6ª posição no Top 50 do varejo óptico norte-americano.

A Visionworks é uma divisão da HVHC Inc., ao lado da Davis Vision, que tem sede em San Antonio, Texas, e pertence a Highmark Health, baseada em Pittsburgh, Pensilvânia, uma das maiores redes de cuidados com a saúde do país.

Encerrou 2016 com 748 lojas próprias (comparadas com 699 em 2015) e teve vendas de US$ 917,9 milhões, crescimento de cerca de 1% em relação ao ano anterior. Em 2015, que foi o segundo em que a Visionworks operou como uma marca de varejo óptico unificada, mudou-se para grandes áreas metropolitanas como Detroit e Nova York.

Em junho do ano passado, a Highmark Health confirmou os rumores cogitados na imprensa de que estava explorando opções que poderiam resultar na venda da sua divisão HVHC, isto é, a Visionworks e a Davis Vision, que é o terceiro maior plano de saúde visual nos Estados Unidos. Até o fechamento deste ranking, não havia mais detalhes sobre os planos da Highmark.

 

7 :: MyEyeDr.

Foi mais um ano agitado para a MyEyeDr. – Capital Vision Services, que encerrou 2016 com 318 lojas próprias. A empresa expandiu de 139 pontos de venda no final de 2014 para 205 no ano seguinte e adicionou mais de 100 lojas no último ano, o que incluiu a entrada na região de Chicago, já que, no primeiro semestre do ano passado, comprou as 25 unidades da Spex e rapidamente rebatizou esses pontos de MyEyeDr.

Em agosto de 2016, estabeleceu parceria com Allegany e National Optometry, com 27 pontos nos estados de Maryland, Pensilvânia, Virginia e West Virginia. Como resultado da transação, 36 doutores se juntaram à MyEyeDr. e todas essas unidades passaram a estampar a nova marca no decorrer do ano.

A MyEyeDr. ainda realizou uma terceira negociação no ano passado: a compra da Opticare em Connecticut, adicionando 18 novas locações sob a sua marca e iniciando sua entrada na região nordeste do país.

De forma geral, a MyEyeDr. registrou receita de US$ 411 milhões em 2016, elevação de quase 35% em comparação com a receita de US$ 305 milhões no ano anterior.

 

8 :: Refac Optical Group

O grupo seguiu com crescimento de vendas em 2016. Com departamentos de óptica no interior das lojas de departamento BJ, JC Penney e Sears sob a marca U.S. Vision, registrou receita de US$ 280 milhões em 2016, aumento de pouco menos de 2% em comparação com os resultados de vendas do ano anterior.

A empresa, que também detém e opera a Nationwide Vision, fechou 2016 com 780 lojas e esse total inclui as 203 unidades no interior da BJ – os resultados dos pontos de venda da U.S. Vision situados no interior da Hudson’s Bay no Canadá não são contabilizados para este ranking.

Outros locais em que a U.S. Vision mantém departamentos de óptica são The Optical Shop at Meijer, Boscov’s Optical, AAFES Exchange (em bases militares) e 20/20 Vision Center. Já a Nationwide Vision Center, com sede em Arizona, opera 80 pontos de venda (73 próprios e sete arrendados) e registrou vendas de mais de US$ 65 milhões no ano passado.

A Refac não reportou aquisições significativas ou desinvestimentos em 2016, mas no início deste ano a U.S. Vision lançou uma nova parceria com a loja de departamento de luxo Saks Fifth Avenue, com a meta de abrir duas unidades da Saks Optical em 2017, a primeira das quais foi inaugurada em abril, na filial de Boca Raton, Flórida.

Desde 2011, a Refac pertence a Acon Investiments, empresa de private equity, situada em Washington D.C.

 

9 :: EyeCare Partners

A EyeCare Partners é nova no Top 10, subindo da 11ª para a 9ª posição, alimentada por uma aquisição sustentada em 2016. Com base nas vendas do ano passado, os pontos de venda do grupo totalizaram 230, gerando vendas coletivas de US$ 275 milhões. Em maio deste ano, a EyeCare Partners já estava em 250 locais – e mais aquisições estão por vir, segundo seus executivos.

A empresa começou em abril de 2015, quando a empresa de private equity FFL Partners investiu no grupo Clarkson Eyecare, com sede em St. Louis, que tinha 63 unidades na época. No ano anterior, a Clarkson comprou a Thoma & Sutton, com 19 pontos, baseada em Cincinnati. Em julho de 2015, adquiriu 19 consultórios da EyeCare Associates no Alabama e, então, com 61 unidades nas Carolinas do Norte e do Sul. Atualmente, esses são os quatro principais grupos que servem como centros regionais para a operação da EyeCare Partners. Os demais são Rinkov Eyecare Centers em Ohio, EyeCare Associates de Kentucky, Eye Elements em Georgia, The EyeDoctors Optometrists no Kansas, Quantum Vision Centers no Missouri e em Illinois e Ophthalmology Consultants em Illinois.

 

10 :: Eyemart Express

A rede é líder de mercado no segmento de produtos de combate e, em 2014, recebeu um investimento da FFL Partners. No ano passado, abriu 11 pontos, passando a somar 182 lojas, gerando vendas de US$ 245 milhões. O grupo, que atua em mais de 30 estados, opera sob os nomes Eyemart Express, Vision 4 Less, Eyewear Express e Visionmart Express.

 

Clique aqui para baixar um PDF completo da matéria.

468 ad