Luxottica anuncia saída da Bolsa de Nova York

A corporação italiana acabou de comunicar que deu início aos procedimentos para a retirada voluntária da bolsa de valores nova-iorquina, a New York Stock Exchange. Por se tratar de uma companhia estrangeira, as ações da Luxottica pertencem à categoria ADS, isto é, American Depositary Shares, ações denominadas em dólares de empresas com sede no exterior disponíveis para compra em bolsas de valores norte-americanas, que são emitidas por bancos depositários nos Estados Unidos de acordo com a empresa estrangeira emissora. Todas as emissões são denominadas American Depositary Receipt (ADR).
A Luxottica anunciou que pretende converter suas ações do nível ADR 3 para o nível ADR 1, dando a opção aos donos de ADR existentes de continuarem a deter essas ações – as ADR de nível 1 são negociadas no mercado de balcão (segmento que reúne todas as transações realizadas fora da bolsa, como distribuição, compra e venda, diretamente entre as partes ou com a intermediação de instituições financeiras, mas sempre fora da bolsa).
Relacionada à exclusão do registro na bolsa nova-iorquina, a Luxottica pretende solicitar à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos o descadastramento de suas ações registradas e o término de todas as obrigações de divulgação regidas pelo Securities Exchange Act, a lei de 1934 que regula a negociação secundária de títulos (ações, títulos e debêntures) no país.
“A decisão não afeta de forma alguma a visão estratégica da Luxottica para os Estados Unidos, que representa o maior mercado da empresa. A Luxottica também se mantém totalmente comprometida com seus acionistas norte-americanos, uma vez que as ações ordinárias da companhia continuarão a ser negociadas na bolsa italiana, proporcionando liquidez a todos os investidores, sem afetar o acesso do grupo ao capital”, declarou o fundador e presidente executivo da Luxottica, Leonardo Del Vecchio.
A decisão do grupo de se retirar da bolsa de valores norte-americana foi baseada nos seguintes pontos:

 

 

 A negociação das ações da Luxottica evoluiu significativamente no mercado italiano. No período de 12 meses encerrado em 1º de maio, a movimentação de ações nos Estados Unidos representou apenas 3,7% do volume médio diário de negociação da empresa.
Manter-se listada e registrada no mercado de ações implica custos administrativos significativos.
A exclusão da bolsa também é interessante em função da fusão a caminho com a Essilor, listada no braço francês da bolsa europeia, a Euronext Paris.

“A saída da bolsa norte-americana é parte dos esforços para simplificar a organização da Luxottica nos últimos dois anos, particularmente por conta do nível comparativamente baixo de atividade de negociação das ações nos Estados Unidos. Isso garante economias de custos que beneficiarão todos os acionistas e também será eficiente à luz da combinação com a Essilor”, comentou Del Vecchio. “A Luxottica foi a primeira empresa a ser listada na Bolsa de Valores de Nova York, em 1990, antes de ser cotada na bolsa italiana. Sempre terei orgulho de uma escolha corajosa que trouxe ao grupo grande visibilidade e prestígio em nível internacional.”
No comunicado oficial, a Luxottica reiterou o compromisso de manter seu alto padrão de governança corporativa e transparência no que diz respeito à informação financeira, bem como o seu sistema de controle interno. A Luxottica permanecerá sujeita às regras de mercado da bolsa italiana e a todas as leis e as regulamentações aplicáveis às empresas cotadas no mercado de ações da Itália.

 

A recém-nascida gigante EssilorLuxottica

Novos capítulos da fusão entre Essilor e Luxottica

 

468 ad