[Não venda óculos!] Como ganhar muito dinheiro?

Após 15 anos de
varejo, o óptico
Tiago Salvador
resolveu se dedicar
ao treinamento

Bora então que vou ajudar você a ganhar muito dinheiro em vez de ficar pensando em como fazer isso. Sabe aquelas empresas desesperadas, com pressão para atingir metas e vendas a todo custo? Isso eu chamo de “estado de força”. Sim, pessoas forçam a barra em ganhar dinheiro e ele, por incrível que pareça, foge!

Uma das profissionais que respeito muito, a psicóloga e especialista em educação emocional, Rosalia Schwark, criadora do método Movimento Perfeito, que estuda o cérebro e a cura quântica. Trata-se do principio da energia: quanto menor a sua escala energética, piores são os seus resultados. Essa tabela vai desde o mais baixo estado de força (com sentimentos como vergonha, culpa, apatia, tristeza, medo, desejo e raiva) passa pelo estado de poder (orgulho, coragem, neutralidade, amor, alegria e paz) até chegar ao estado da iluminação, em uma escala que vai de 20 até 1000 – esse último, o estado máximo de energia que somente pessoas como Buda, Jesus Cristo e Krishna conseguiram atingir. Deixando de lado as crenças, mantenha atenção no estado emocional do desejo.

Aprende-se durante toda a vida que uma pessoa só atrai aquilo que deseja. Aqui vem a grande sacada para quem deseja ter muito dinheiro: parar de pensar nele e começar a focar no resultado que quer entregar ao cliente. Assim, o dinheiro chegará automaticamente.

Pare de desejar dinheiro! Quanto mais alguém deseja algo, mais se torna escravo daquilo e esse é um nível muito baixo de energia. A venda tem de ser fácil e o mesmo ocorre com ganhar dinheiro. Assim que seu cliente entrar na óptica, esqueça o quanto vai vender e foque na pergunta: “qual é a dor do meu cliente?”.

Provavelmente, você já teve dor de dente e tirou dinheiro de onde não tinha para resolver essa dor, certo? Isso vale o mesmo para o seu cliente, que pode querer enxergar melhor, ficar mais bonito, sentir-se mais seguro, ver o mundo melhor, fazer sucesso com a pessoa amada, brilhar nas câmeras, sair bem na foto ou montar sua pequena coleção de três óculos… São milhares de “dores” andando pela rua todos os dias e basta descobrir que dores são essas.

Sintonizando essa frequência de pensamento – bingo! -, você acabou de entrar no estado de desejo e não no de solução da dor, porque nenhum cliente entra em uma loja para fazer doações. Pelo menos, até hoje ninguém fez isso comigo e nunca ouvi falar de alguém que tenha entrado em uma loja apenas para dar dinheiro sem querer solucionar algo.

Elimine o cifrão da frente dos seus olhos e comece a pensar como solucionar as dores do seu cliente. Caso você tenha lido até aqui, acredito que chegou a hora de terminar o tratamento para a sua dor com um método a seguir em duas versões (para quem já tem emprego e para quem está desempregado).

 

Como ganhar muito dinheiro sem pensar nele

A venda tem de ser fácil e o mesmo ocorre com ganhar dinheiro. Veja os passos para condicionar a sua mente e sintonizá-la no estado do desejo.

 

Para quem tem emprego

  1. Fale para seu cérebro que você já tem o suficiente para ganhar dinheiro: um emprego.
  2. Descubra as “dores” do seu cliente.
  3. Liste dez possíveis dores do seu cliente, tendo em mente que você é um especialista em solucionar dores.
  4. Visualize a seguinte pergunta escrita no peito do cliente: “qual é a minha dor?”.
  5. Treine essa técnica e aplique no próximo cliente que entrar na loja.

 

Para quem está desempregado

  1. Fale para seu cérebro que você tem força de vontade e um método para conquistar um emprego.
  2. Descubra as “dores” da empresa em que deseja trabalhar.
  3. Liste dez dores que a empresa pode ter e lembre que você é a solução.
  4. Visualize a seguinte pergunta escrita no peito do entrevistador: “qual é a minha dor?”.
  5. Treine essa técnica e aplique em sua próxima entrevista de emprego.

 

Espero ter solucionado ou aliviado sua dor de como ganhar muito dinheiro, pois essa era a pergunta que estava escrita em seu peito (“como eu ganho muito dinheiro?”) quando cheguei aqui, hoje, para escrever esta coluna. Até a próxima “cirurgia”, prezado leitor.

468 ad